Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Barreiro testa meios e operacionais para situação de catástrofe | Exercício Internacional de Proteção Civil CASCADE´19

Exercicio3 1 1024 2500
2019/06/07

O Município do Barreiro foi parte integrante do CASCADE´19 – maior Exercício Europeu de Proteção Civil, que decorreu em Portugal entre 28 de maio e 1 de junho, organizado pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, em colaboração com a Direção-Geral da Autoridade Marítima, cofinanciado pela Comissão Europeia no quadro do Mecanismo de Proteção Civil da União Europeia.

Foram mobilizados mais de 600 operacionais de várias entidades nacionais, das regiões autónomas dos Açores e da Madeira, bem como equipas de 5 países europeus, em cerca de 20 localidades dos Distritos de Aveiro, Évora, Lisboa e Setúbal, abrangendo mais de 60 cenários distintos.
Testar e treinar a resposta a emergências múltiplas que possam ocorrer em cascata (sismo, cheias, acidente químico, rutura de barragem e poluição marítima) em território nacional, foi o principal objetivo do Cascade´19, cuja preparação para este LIVEX (Live Exercise) demorou dois anos.

No Barreiro a deslocação de meios reais aconteceu, por todo o Concelho, entre os dias 29 e 31, com a mobilização de dezenas de operacionais para dar resposta a um evento sísmico que provocou o colapso de estruturas em zonas urbanas, resultando em vítimas com traumas e pessoas desaparecidas; um acidente ferroviário, de grande violência, que provocou a projeção de duas carruagens de passageiros para terrenos adjacentes à linha ferroviária; a inflamação da bacia de contenção de hidrocarbonetos dos Tanques de uma das fábricas do Concelho e um Incêndio Florestal na Mata da Machada.

Face a este número de cenários a decorrer quase em simultâneo, os operacionais foram testados no terreno em valências tão diversas como busca e salvamento urbano, busca e resgate em estruturas colapsadas em grande escala, emergência médica e evacuação para Posto Médico Avançado instalado na zona afetada do Barreiro e ainda emergência pré-hospitalar e desencarceramento.

No posto de comando montado no mercado levante durante 3 dias, onde se concentrou a Comissão Municipal de Proteção Civil, foram tomadas todas as decisões de responder a cada ocorrência, para onde enviar socorro e como tratar situações de evacuação de aglomerado populacional privado de água potável e energia elétrica.

Para Frederico Rosa, Presidente do Município, elemento sempre presente nesta Comissão, o Cascade´19 “correu bem por permitir às forças locais estarem hoje mais preparadas para uma situação de catástrofe”. A enorme variedade de entidades com saberes diferentes, com preocupações especificas que se articulam num todo para dar resposta em caso de catástrofe à população foi destacada pelo autarca. “Foi visível a evolução na ligação naquilo que começou como um grupo de pessoas e acabou numa equipa multidisciplinar com diversas valências para poder interagir e resolver os problemas em tempos de catástrofe. A necessidade de se tomar rápidas e difíceis decisões, associado ao stress induzido por cada ocorrência e ao calor que fez sentir nestes dias, revelaram o enorme profissionalismo da nossa Proteção Civil, da Segurança Social, do Hospital, dos Centros de Saúde, das Forças Policiais, Autoridade Marítima, PSP, GNR e Fuzileiros, entre outras entidades”, sublinhou.

Eduardo Cabrita, Ministro da Administração Interna (MAI) esteve na cerimónia de encerramento do Cascade´19 que aconteceu no Barreiro, na manhã do dia 1 de junho, onde manifestou profunda satisfação pela forma como o Exercício decorreu. “Foram 18 meses intensos de preparação. Um caminho de estreita articulação com o Comissário Europeu para a Emergência Humanitária e de Proteção Civil que permitiu integrar a Proteção Civil portuguesa dentro de um esforço global de afirmação de Portugal como um país seguro”. Para o MAI, há que perceber que a Proteção Civil não é apenas combate a incêndios - “o Cascade´19 trouxe-nos uma conjugação perfeita de tudo o que é perigoso e terrível que nos pode acontecer” – e que a “Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, por si só, não tem capacidade” para fazer nada – “ela só existe enquanto estrutura de coordenação e mobilização. Há que perceber quem está na primeira frente da resposta aos riscos locais, que são os bombeiros”.

O trabalho em rede de duas dezenas de instituições, a participação direta de 21 municípios e a ocorrência de 400 incêndios ao longo da semana, que graças aos bombeiros não chegaram a ser notícia, foram sublinhados pelo Ministro que aplaudiu o esforço e empenho das forças no terreno que conseguiram responder ao Exercício e a situações reais.
José Figueiredo, Comandante dos Bombeiros Voluntários do Corpo de Salvação Pública do Barreiro classificou o Cascade´19 como “uma experiência fora do normal”, e cujos “procedimentos devem ser constantes e anuais de forma a que as entidades se possam interligar em prol da defesa da população”.

De acordo com Acácio Coelho, Comandante dos Bombeiros Voluntários Sul e Sueste este Exercício pôs à prova todas as valências existentes no Concelho, e revelou não só a enorme motivação dos homens das duas corporações locais, mas acima de tudo, a capacidade e profissionalismo pelo trabalho desenvolvido no Exercício e nas muitas ocorrências reais a que tiveram de dar resposta.

Exercicio1 1 1024 2500
Exercicio2 1 1024 2500
Exercicio3 1 1024 2500
Exercicio4 1 1024 2500
Exercicio5 1 1024 2500
Exercicio8 1 1024 2500

Município do Barreiro © 2015 | Todos os direitos reservados

logotipo de wc3amrs logotipologotipo Wiremaze