Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Depósito e Transformação de Bivalves do Rio Tejo vai ser implementado no Barreiro

11 1 1024 2500
2019/02/25

No dia 22 de fevereiro, o Município do Barreiro recebeu a visita da Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, acompanhada pelo Secretário de Estado das Pescas, José Apolinário e pelo Presidente da Câmara Municipal do Barreiro, Frederico Rosa, no âmbito da cerimónia da assinatura do Auto de Consignação de empreitada de construção do Depósito e Transformação de Bivalves do Rio Tejo, no Barreiro – BIVALOR. 

Um investimento total estimado em 2,36 milhões de euros, dos quais 1,34 milhões de euros na infraestrutura e de 920 mil euros em equipamentos e com uma comparticipação do MAR 2020 de 1,05 milhões de euros.

“Um dia muito feliz para o Barreiro e para toda a margem sul, pela resolução de um problema que se arrasta há muito”, foi o início do discurso do edil barreirense, que descreveu este projeto como sendo muito mais do que uma simples depuradora: “ É um projeto que pode trazer valor acrescentado a toda uma região, que faz todo o sentido ser desenvolvido nestes terrenos e que dá um sinal que neste desenvolvimento económico que Portugal quer prosseguir, a margem sul, o Barreiro, estão ao dispor, com terrenos disponíveis para fazer parte de uma solução que dê resposta às pessoas. Não podemos ter um país que cresce, mas uma margem sul com taxas de desemprego acima da média nacional e da Área Metropolitana de Lisboa”, disse.
Para Frederico Rosa, “este sinal que aqui damos hoje é muito mais do que o Auto de Consignação de uma empreitada. É um sinal de que o Barreiro e a margem sul diz, presente, e está disposta a contribuir para a economia deste país”.

Ana Paula Vitorino, Ministra do Mar destacou a importância deste projeto por permitir ajudar a ultrapassar uma crise que se vive no Tejo, relacionada com a atividade de apanha de bivalves, cujas estimativas apontam para um volume de negócios que ronda os 20 milhões de euros, praticada por mais de 1500 pessoas, na sua maioria, de forma ilegal, dado que existem menos de 200 licenças emitidas para esta atividade. “Estamos a falar de uma questão não só económica, mas também de saúde pública, visto estarmos a falar de uma zona que ainda se encontra parcialmente contaminada”, lembrou.

Segundo defendeu Ana Paula Vitorino, com esta construção, permite-se que a atividade continue, mas de uma forma transparente, ultrapassando todos os problemas que têm a ver com a inexistência desta Unidade. “O Depósito e Transformação de Bivalves do Rio Tejo, vai permitir atuar de uma forma ainda mais firme do que aquela que tem sido concretizada, sem que essas 1500 pessoas percam o seu modo de subsistência”. Para a Ministra do Mar, “o projeto BIVALOR responde a um programa de ação nas diversas áreas necessárias para ser obtida uma regulação da atividade da apanha de bivalves, nomeadamente no Estuário do Tejo, visando assegurar a sustentabilidade das comunidades ribeirinhas, a valorização económica dos bivalves e a defesa da saúde pública”.

A BIVALOR é um projeto integrado com a participação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), da Direção-Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM), do Porto de Lisboa (APL) e da Docapesca – Portos e Lotas, todos da área do Mar, com a colaboração da Câmara Municipal do Barreiro.

Na cerimónia, procedeu-se ainda, ao descerrar da placa alusiva à consignação da empreitada de construção pela Ministra da Mar e pelo Presidente da CMB.

image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title

Município do Barreiro © 2015 | Todos os direitos reservados

logotipo de wc3amrs logotipologotipo Wiremaze