Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Passeio Fotográfico e Encontro de Fotografia Industrial

2018/06/16
Encontro de fotografia industrial 1 1024 2500

A fotografia teve sempre uma presença muito marcante no Barreiro. O Encontro é dedicado a dois dos temas mais queridos do concelho: a Fotografia e o Património. Uma simbiose que marca alguns dos traços identitários mais fortes do Barreiro.
Público em geral | Gratuito

« Descarregue AQUI o PROGRAMA »Encontro de Fotografia Industrial_Programa

 

Encontro de Fotografia Industrial
16 de junho | Espaço Memória
9h30 às 18h00

9h30 – Passeio fotográfico pela zona industrial da Baía do Tejo
Ponto de Encontro – Rua da União (Junto ao mural do VHILS)
(Inscrição gratuita através dos contactos - T. 212 068 230 / cultura@cm-barreiro.pt)

15h00 às 18h00 – Encontro Fotografia Industrial | ESPAÇO MEMÓRIA
ENTRADA LIVRE

- Fernando da Motta, em representação do Collective Images – coletivo de fotografia do Barreiro
Os «CollectiveImages» são um coletivo de fotografia fundado em 2013, nascido no seio da APAF—Associação Portuguesa de Arte Fotográfica. Conta com quatro elementos – Ana Rainho, Fernando da Motta, Marta Amorim e Pedro Amorim - que têm como objetivo comum desenvolver projetos fotográficos artísticos ou documentais, abordando temáticas contemporâneas.
Tendo muito trabalho desenvolvido na área da fotografia industrial de autor, já expôs sobre essa temática na Universidade de Évora, Galeria de Arte do Estoril, Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal, na Sociedade de Instrução e Recreio Barreirense e no Auditório Municipal do Barreiro – Augusto Cabrita.

- Maria de Luz Sampaio
Licenciada em História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto; Pós-graduação em Museologia Social na Universidade de Lusófona (1997) Mestrado em Estudos Locais e Regionais na FLUP (2009). Doutorada em História e Filosofia da Ciência, especialidade Museologia pela Universidade de Évora (2015).
Em 1992 participa no projeto de investigação do Inventário do Património Industrial da cidade do Porto. Em 1996: participa no Programa museológico e na abertura do Museu da Ciência e Indústria do Porto. De 2000 a 2011 assume funções de Diretora do Museu da Indústria do Porto. Responsável pela gestão de coleções, programação e serviços educativos.
Autora de livros e artigos sobre reconversão e musealização de edifícios industriais, programação museológica, museus e património industrial, história da técnica, da indústria e da eletricidade. Em pareceria com diversos organismos organiza workshops dedicados à cultura material e ao património Industrial. Membro da Sociedade Portuguesa de Estudos de História da Construção, colaboradora do Projeto “Matemáticas e ingeniería: nuevas perspectivas críticas (siglos XVI-XX)”, da Universidade Politécnica da Catalunha e colaboradora do CIDEHUS/Universidade de Évora.
Atualmente, Bolseira da FCT – projeto de Pós Doutoramento: História do Ensino da Engenharia em Portugal (1911-1960), Unidade de acolhimento: Instituto de História Contemporânea, da FSCH da Universidade Nova de Lisboa.

- Fernando Costa - apresentação do tema “Industriais e indústrias no acervo fotográfico do ANTT: fundos e coleções mais relevantes”
Fernando Carlos Dores Costa é Mestre em História Contemporânea pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e detém o Curso de Especialização em Arquivística do Mestrado em Ciências da Documentação e Informação da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Desempenha atualmente funções de técnico superior na Divisão de Comunicação e Acesso do Arquivo Nacional da Torre do Tombo.
É membro do Instituto de História Contemporânea da FCSH/UNL e da Associação dos Amigos do Arquivo Histórico Diplomático do MNE.
Participou em vários encontros e seminários sobre fotografia tento publicado artigos e obras sobre tema. É também autor do estudo sobre relações internacionais, intitulado Portugal e a Guerra Anglo-Boer (1899-1902). Política Externa e Opinião Pública, editado pela Editorial Cosmos em 1998. A este trabalho foi atribuída uma Menção Honrosa pelo Júri do Prémio de História Contemporânea da Universidade do Minho e pelo Júri do Prémio Fundação Mário Soares, em 1995 e 1999, respetivamente.

- Rosa Reis, fotógrafa – “Fotografia Industrial e construção da Memória”
Rosa Reis falará sobre a importância da fotografia num processo para a valorização e patrimonialização dos testemunhos industriais.
A construção da memória dos homens é também a construção da memória de toda uma comunidade abrangida pela implantação da indústria que mudou não só a paisagem como o território de referência da própria comunidade.
Projetos autorais que vão da Arquitetura ao Património, do Jazz aos projetos sociais como o da Cadeia de Tires e do Bairro 6 de Maio são o mote para a fotógrafa.
Reinventar o lugar do olhar, atingir a ideia de um primeiro olhar sobre as coisas.
Olhar em volta para ver de novo a espessura, a densidade, a humanidade, e a sensualidade das coisas, restituindo-lhes o direito a serem olhadas de frente, lentamente, em reconhecimento e em louvor.
Não possuímos as coisas nem o tempo das coisas, mas apenas imagens do que é já a ruína dessas mesmas coisas.
Edifícios e lugares desativados, estruturas arquitetónicas, funcionais ou mesmo em ruína são permanências na obra de Rosa Reis.

Local:
ESPAÇO MEMÓRIA
Parque Industrial da Baía Tejo, Rua 17, Nº 10
2830-571 Barreiro
T. 21 206 8185 | espacomemoria@cm-barreiro.pt

Município do Barreiro © 2015 | Todos os direitos reservados

logotipo de wc3amrs logotipologotipo Wiremaze