Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

24 DE OUTUBRO | DIA MUNICIPAL PARA A IGUALDADE | LIVRO “(RE)CONTOS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA FOI APRESENTADO AO PÚBLICO

Igualdade 1 750 2500
2014/10/27
No Dia Municipal para a Igualdade, assinalado a 24 de outubro, a Câmara Municipal do Barreiro (CMB) promoveu uma sessão de apresentação do livro “(re)Contos de Violência Doméstica”, de Filomena Iria, no Espaço J. No mesmo dia, foram distribuídos postais, com a mensagem “A violência doméstica é crime, denuncie-o! Promova a Mudança” e contactos da Conselheira Local para a Igualdade, Apolónia Teixeira.




O Dia Municipal para a Igualdade foi promovido por uma Comissão Organizadora, constituída por várias autarquias do País, à qual o Município do Barreiro se associou.

A sessão que contou com as presenças das vereadoras da CMB, Regina Janeiro, responsável pela área da Intervenção Social, e Sónia Lobo, responsável pela área dos Recursos Humanos, da Conselheira Local para a Igualdade de Género, Apolónia Teixeira, de Filomena Iria, autora da obra apresentada, e de Telmo Torrinha, do Núcleo de Apoio à Vítima Barreiro/Moita, da RUMO, Cooperativa de Solidariedade Social.

O Plano para a Igualdade de Género, Cidadania e não Discriminação no Município do Barreiro, aprovado em 2013, foi recordado por Regina janeiro. A Vereadora explicou que este trabalho dispõe de uma intervenção interna junto dos funcionários do Município e, paralelamente, compreende uma perspetiva externa, junto dos parceiros sociais. O Plano, recorde-se, assenta em quatro eixos estratégicos: Emprego e Conciliação; Educação/Formação; Saúde e Estilos de Vida Saudável; Solidariedade e Coesão Social.
No que diz respeito à igualdade, na opinião da Vereadora “estamos muito longe do que seria ideal”. Segundo as estatísticas, em relação à taxa de desemprego, esta continua a ser superior nas mulheres, em relação aos homens. No que toca ao salário, existe uma discriminação salarial (as mulheres recebem em média menos 18% do que os homens).

Por seu lado, Apolónia Teixeira está convicta de que as desigualdades entre homens e mulheres estão longe de estar ultrapassadas. “Têm vindo a agravar-se devido à situação sociopolítica em que vivemos. As mulheres são as mais atingidas pelo desemprego, as pensões de velhice são muito baixas, em comparação com o sexo masculino”. Na opinião da Conselheira esta situação deve ser invertida. “Temos de exigir que a igualdade não seja apenas uma efeméride (com datas nacionais e internacionais). Temos de exigir, por exemplo, programas que contribuam para descodificar esta linguagem e imagens associadas à sexualização do corpo da mulher”.

“Violência Doméstica” primeiro tema escolhido
Apesar de existirem outras situações de grande preocupação, a Conselheira explicou que foi escolhido o tema da Violência Doméstica para uma primeira ação do Plano para a Igualdade “porque consideramos um tema dramático que afeta, cada vez mais, largos setores da população, para além das mulheres, também os homens, as crianças e os idosos. É transversal”.

Emocionada, a autora barreirense apresentou o seu livro “(re)Contos de Violência Doméstica”, um trabalho que lhe possibilitou afastar os seus próprios “demónios”. Partilhou que, entre os anos 2000 e 2005, viveu “o terror sem ter coragem de dizer basta”.
Explicou que este livro contém nove contos ficcionados, mas “onde está muito da minha experiência pessoal”.
Pretende através desta obra e do seu perfil no facebook transmitir uma mensagem de esperança e luta a todos os que sofrem e informou que o valor recolhido com a venda do livro reverte para a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV).




Em relação aos dados estatísticos nacionais referentes aos casos de violência doméstica, conjugal, Telmo Torrinha informou que o distrito de Setúbal encontra-se em terceiro lugar, sendo a maior parte dos agressores do sexo masculino.
Chamou, ainda, à atenção para os casos de violência sobre a população idosa e sobre os deficientes.
Núcleo de Apoio à Vítima Barreiro/Moita, da RUMO, contacto: 21 206 49 20.



Ao longo da manhã, no Mercado Municipal 1º Maio e no comércio, a Conselheira Local para a Igualdade, Apolónia Teixeira, distribuiu um postal com a imagem do cartaz e a mensagem “A violência doméstica é crime, denuncie-o! Promova a Mudança”. No verso constavam as informações sobre o acesso, encaminhamento e contato do Número Verde gratuito 800 202 148, assim como os seus contactos (conselheira.igualdade@cm-barreiro.pt, telefone: 912 759 921). O atendimento será às 4ª feiras de manhã, nos serviços da Câmara Municipal do Barreiro localizados na Rua José Magro, nº 2- A.

Município do Barreiro © 2015 | Todos os direitos reservados

logotipo de wc3amrs logotipologotipo Wiremaze