Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Mês do Teatro 2017 | EMBARCAÇÃO DO INFERNO

2017/03/30
Embarca  o do inferno 1 1024 2500

30 março | 21h30 | EMBARCAÇÃO DO INFERNO de Gil Vicente | A Escola da Noite /CENDREV - Centro Dramático de Évora | Auditório Municipal Augusto Cabrita

No âmbito das Comemorações dos 500 anos de Gil Vicente
Público-alvo: Familiar
Duração 60 min.
Ingresso: 5,00€
Informações e reservas: 212 068 230 ou bilheteira@cm-barreiro.pt

A obra de Gil Vicente é uma marca incontornável nos reportórios d’A Escola da Noite e do Cendrev, que partilham o gosto por trabalharem sempre o texto original, ainda que através de abordagens cénicas contemporâneas. No ano em que se comemoram os 500 anos da primeira apresentação do “Auto de Moralidade da Embarcação do Inferno”, também conhecido como “Auto da Barca do Inferno”, os dois grupos decidiram montar o mais estudado e mais emblemático texto vicentino. As companhias assumem a vontade de celebrar com o público este momento fundador do Teatro português: Gil Vicente não é “apenas” o nosso maior dramaturgo, ele é uma das figuras cimeiras da nossa literatura e da nossa cultura, pese embora o insistente esquecimento a que tem sido votado. À falta de datas precisas de nascimento e morte, é a sua obra que pode e deve ser comemorada, em particular o “Auto da Barca do Inferno”, obra maios da Idade Média europeia. As duas companhias convidam assim os espectadores a voltarem a olhar para a peça e a confrontarem-se com tudo o que ela continua a ter para nos oferecer, cinco séculos depois. No texto que escreveu para o programa do espetáculo, o consultor científico do projeto, José Augusto Cardoso Bernardes, salienta: “pela mão qualificada, segura e inventiva da Escola da Noite e do Centro Dramático de Évora, ficamos em condições de problematizar temas de sempre: Morte e Vida, Mal e Bem, Ter e Poder. E, para tal, nem sequer precisamos de sair completamente do século XXI. Com os pés assentes no nosso tempo, bastará alongar o ouvido e apurar a visão para escutar a sensibilidade e a moral de um outro tempo que, afinal, não está ainda tão afastado de nós como pode parecer.”
O espetáculo é co-encenado pelos diretores artísticos das duas companhias – António Augusto Barros e José Russo – e conta com um elenco misto: Ana Meira, Jorge Baião, José Russo, Rosário Gonzaga e Rui Nuno (Cendrev) e de Igor Lebreaud, Maria João Robalo e Miguel Magalhães (A Escola da Noite). A equipa inclui ainda Ana Rosa Assunção (figurinos e bonecos), João Mendes Ribeiro e Luísa Bebiano (cenografia), António Rebocho (iluminação) e Luís Pedro Madeira (música).
Texto Gil Vicente; encenação: António Augusto Barros e José Russo; interpretação: Ana Meira, Igor Lebreaud, Jorge Baião, José Russo, Maria João Robalo, Miguel Magalhães, Rosário Gonzaga, Rui Nuno; figurinos e bonecos: Ana Rosa Assunção; cenografia: João Mendes Ribeiro e Luísa Bebiano; luz: António Rebocho; música: Luís Pedro Madeira; consultadoria: científico José Augusto Cardoso Bernardes.

 

Iniciativa inserida no Mês do Teatro 2017. Consulte programa completo em http://www.cm-barreiro.pt/frontoffice/pages/792?news_id=6165

Município do Barreiro © 2015 | Todos os direitos reservados

logotipo de wc3amrs logotipologotipo Wiremaze