Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

“Circuitos Sonoros” na AML durante o mês de outubro

01 a 2020/10/31
Circuitos sonoros aml poster 1 1024 2500

Os Circuitos Sonoros inspiram a reflexão e o pensamento sobre as dinâmicas sociais dos espaços públicos da Área Metropolitana de Lisboa e em torno dos temas: memória, medo, liberdade, ritmo e saúde.

5 entidades culturais apresentam 36 artistas na criação de 29 narrativas sonoras acessíveis através de códigos QR convidando o público a explorar a cidade através do som. 

Durante o mês de outubro a Área Metropolitana de Lisboa vai soar diferente. Várias entidades criativas uniram os seus artistas para fazer criações sonoras que exploram a liberdade, o ritmo, o medo, a saúde e a memória nos espaços públicos das cidades de Lisboa, Almada e Barreiro.

Através de códigos QR colocados em locais públicos pensados pelos artistas, poderá aceder no seu telemóvel a criações sonoras originais que conectam a paisagem urbana à sua audição. O uso de auriculares é recomendado para uma experiência mais imersiva.

 

Os Circuitos Sonoros estarão disponíveis:

Em Cacilhas, desenvolvido por A Bela Associação

Em Xabregas/Beato, desenvolvido por Associação Arroz Estúdios

Na Graça e Alfama, desenvolvido por Camaleão

No Barreiro, desenvolvido por Linha Amarela – Produções

No Príncipe Real, desenvolvido por Zaratan – Arte Contemporânea 

Este projeto é direcionado a um público vasto e pretende superar alguns dos desafios que a pandemia nos trouxe, não requerendo aglomerações ou qualquer contacto humano para acesso à cultura.

Os Circuitos Sonoros unem diversas entidades criativas locais e exibem o seu trabalho, tal como o dos artistas locais associados às mesmas, enfatizando a sua relevância para o desenvolvimento do tecido cultural da Área Metropolitana de Lisboa.

As criações artísticas sonoras, ao serem lidas através de um QRCode, sem quaisquer custos para os(as) espectadores(as), visam a democratização cultural, com impacto na cidadania e coesão social.

Os Circuitos Sonoros representam um modelo criativo, inovador e dinamizador no setor artístico, na medida que pretende ser uma plataforma dirigida a artistas locais e a uma rede de parcerias com diferentes entidades na Área Metropolitana de Lisboa, tentando aproximar e minimizar a distância entre as três cidades (Lisboa, Almada e Barreiro).

Esta é também uma estratégia de alargamento e criação de novos públicos para a cultura e, em particular, aumentar a rede Eufonia através de experiências únicas que promovem a curiosidade sobre o som e o seu impacto no ser humano em diferentes esferas da vida social.

Promovido pelo EUFONIA – Sound, Art & Science, Circuitos Sonoros é um projeto que acontece simultaneamente em Lisboa e Berlim desafiando entidades culturais e artistas locais, a participar num projeto conjunto com perspetivas de continuidade e expansão.

 

PROGRAMA:

Zaratan – Arte contemporânea desenvolveu as suas narrativas sonoras pelas freguesias de Santo António, Misericórdia e Estrela com Bárbara Bulhão, Boris Martins Nunes, Fernando Fadigas, Pascal Ansell, Violeta Lisboa, André Sier, Luís Fernandes. Na Praça da Constituição de 1976 Fernando Fadigas apresenta-nos The Wind Language, uma criação em torno dos temas da memória e da liberdade, sendo também um reencontro do artista com a cidade de Berlim. Em 1997 apresentou numa exposição coletiva em Maumaus diversas gravações em jardins de Lisboa. A peça que agora poderemos escutar inverte o processo, que tem na base sons atuais do cosmopolita bairro de Pankow, em Berlim.

Camaleão apresenta um circuito com alguns dos seus artistas emergentes na cena musical lisboeta. Jhon Douglas, Anaïs Thinon, Tempura the Purple Boy, Javisol, Luiz Gabriel Lopes, Criatura e Gabriel Pepe. Começamos o circuito no Miradouro da Senhora do Monte com Receita pra largar de ser besta de Jhon Douglas e terminamos no Largo do Chafariz de Dentro para ouvir Canção da Incerteza de Gabriel Pepe. 

Arroz Estúdios junta Ghost Department, Halison Peres, Chaby, Lourenço Luís e Vicente Booth na zona de Xabregas. De baixo de um viaduto, Halison desafia-nos a decifrar os sons que nos rodeiam. Ouvir o ritmo da cidade. O comboio que passa, os carros que se movem. Das repetições forma-se um padrão. O padrão cria o ritmo. 

A Bela Associação criou um circuito sonoro pela zona de Cacilhas, em Almada com criações de Jonny Kadaver, Mariana Tengner Barros, Tiago Rosário, Dj Mee_k. e Sister Ra. Bem perto da estação de barcos de Cacilhas, é incluída a Rua Cândido dos Reis em que Tiago Rosário aborda o tema do medo, fazendo-nos refletir sobre as suas dinâmicas sociais dos últimos anos, deixando uma questão de reflexão: “De quem é a rua?”. São abordados neste circuito muitos outros pontos épicos da zona ribeirinha de Almada como a Lisnave, o Farol e a Rua do Ginjal, explorando este último a liberdade com uma composição de Mariana Tengner Barros que nos transporta literalmente sobre o Rio Tejo. 

Linha Amarela – Produções convida-nos a descobrir cinco pontos do Barreiro, três inseridos na Baía do Tejo e dois no centro da cidade, através de criações artísticas de George Silver e Opus Pistorum. Entre o pórtico da Baía do Tejo e o mural do Vhills, os artistas exploram os ritmos que outrora marcaram aquele território, compassos de máquinas que ainda hoje ali ecoam, explorando um tom que mistura o sentimento industrial e cultural caracterizante da zona do Barreiro. 

Em Berlim, sob o nome Sound Circuits, confirma-se a participação das entidades criativas locais AdK, Catalyst Institute for Creative Arts and Technology, Feral Note, Loophole e YAAM que apresentam narrativas sonoras desenvolvidas por Grischa Lichtenberger, DuChamp, Dadabots, Tatsumi Ryusui, Steffen Gunter, entre outros.

 

PARCEIROS

Câmara Municipal do Barreiro, Baía do Tejo, Câmara Municipal de Almada, Made of Lisboa, Gerador e Câmara Municipal de Lisboa são os parceiros na AML confirmados até à data. Em Berlim os Sound Circuits contam com o apoio da Ableton e Catalyst.

Os visitantes poderão também apoiar o projeto através do botão ‘’Doar’’ nas páginas online dos códigos QR.

 

SOBRE O EUFONIA

O projeto EUFONIA – Sound, Art & Science surge em 2019 na cidade de Berlim. A sua extensão até à AML pretende fortalecer ao objetivo geral do projeto Eufonia: construir uma plataforma internacional e multidisciplinar de partilha de conhecimento através da arte e ciência assente no som como objeto comum.

O EUFONIA traduz-se também num festival interdisciplinar que reúne artistas, cientistas, psicólogos, designers e investigadores de todo o mundo para explorar a intersecção do áudio com áreas divergentes. Em 2020 este evento irá ter duas edições: o Eufonia Lisbon nos dias 14 e 15 de novembro na ADAO; e o Eufonia Berlin, nos dias 7 e 8 de novembro no MONOM.

 

+INFO:

Website https://www.eufonia-festival.com/circuitos-sonoros-lisboa

Instagram https://www.instagram.com/sound.circuits/

Facebook https://www.facebook.com/eufoniafestival

 

Fonte: EUFONIA – Sound, Art & Science

 

[Imagens: DR]

Município do Barreiro © 2015 | Todos os direitos reservados

logotipo de wc3amrs logotipologotipo Wiremaze